GOSTOU?ME SIGA!!!

O Google está fazendo algumas alterações no Google Friend Connect, agora os seguidores necessitam ter uma Conta do Google para fazer login no Google Friend Connect para seguir os blogs.
Se você que me seguia e não tinha cadastro no Google, por favor faça o seu cadastro e volte a participar da minha lista de seguidores e saibam que senti sim muita falta de vocês! Estou lhes esperando com o maior carinho!

Importante:

Importante:

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Diabetes: Oito maneiras de controlar a vontade de comer doces


Coma regularmente 

Se comer de três em três horas já é importante para não portadores do diabetes, para pessoas com a doença, isso é fundamental. A endocrinologista e nutróloga Ellen Simone Paiva explica que os medicamentos usados no tratamento podem não controlar a glicemia de maneira satisfatória quando o paciente come irregularmente, levando a episódios de hiperglicemia e hipoglicemia.

"Ficar muito tempo sem se alimentar pode dar uma vontade exagerada de comer doces ou algum alimento que sacie a fome mais rapidamente", lembra a endocrinologista Lilian Kanda Morimitsu.  
Masque um chiclete - Getty Images
Masque um chiclete 

Uma pesquisa realizada pela Pennington Biomedical Research Center e pelaLouisiana State University, Estados Unidos, que o ato de mascar chicletes sem adição de açúcar (sugar free) ajuda no controle do apetite por doces, reduzindo a ingestão calórica diária em até 40 calorias/dia e a ansiedade.

No entanto, a medida pode variar entre as pessoas. A endocrinologista Lilian Kanda Morimitsu lembra que o ato de mascar chicletes faz com que o organismo libere uma maior quantidade de ácido gástrico, o que aumenta a motilidade intestinal e pode levar a uma maior sensação de fome, ou seja, o efeito inverso do desejado. 
Busque a distração - Getty Images
Busque a distração 

Muitas vezes, a vontade de consumir açúcares vem da ansiedade do paciente. Optar por atividades que proporcionem distração pode ajudar a relaxar e aliviar a necessidade de comer doces. "Desde ver televisão, dar uma simples volta no quarteirão ou conversar com alguém. A pessoa acaba desviando a atenção, que estava voltada aos doces, para outros afazeres, 'desligando-se' desse desejo", justifica a nutricionista Jacqueline Pina. 
Pratique atividades físicas - Getty Images
Pratique atividades físicas 

Além de ser vital para a perda de peso e controle da glicemia, praticar uma atividade física que proporciona prazer é uma das armas contra a vontade de comer mais e mais doces. O princípio é o mesmo já apresentado: o da distração. Ao fazer uma atividade de seu agrado, você se esquece do anseio pelo açúcar e, de quebra, faz bem para seu corpo. Procure um profissional para auxiliá-lo. 
Belisque uma fruta com canela - Getty Images
Belisque uma fruta com canela 

Que tal abocanhar uma fruta cozida com canela? A nutricionista Jacqueline Pina explica que a canela é uma especiaria termogênica, que leva ao aumento do metabolismo e "engana" o desejo por doces. A fruta parece ficar mais docinha, já que esse preparo deixa seu açúcar mais concentrado. 
Coma doce com fibras ou proteínas - Getty Images
Coma doce com fibras ou proteínas 

Combinar um doce com fibras ou proteínas é uma opção a mais na hora em que a vontade de abusar do açúcar aparece. "A combinação de um doce com fibras seria a combinação de melhor escolha, já que a fibra atuaria como uma 'barreira' à entrada de glicose na corrente sanguínea", expõe a nutricionista Jacqueline Pina. As fibras e proteínas, lembra a endocrinologista Lilian Kanda Morimitsu, tornam a absorção do açúcar mais lenta, ajudando no controle da vontade.  
Deixe o doce como sobremesa - Getty Images
Deixe o doce como sobremesa 

Sabe quais são as refeições com maior ingestão de fibras solúveis e insolúveis? O almoço e o jantar. Por isso, ingerir doces de sobremesa ajuda bastante o diabético a segurar a onda na hora de comer doces já que, como dito anteriormente, as fibras atuam como uma "barreira" à entrada de glicose na corrente sanguínea, além de tornarem sua absorção mais lenta.

Além disso, lembra Ellen Simone Paiva, essa atitude facilita a vida de quem usa medicamentos ou aplicações de insulina para o controle da doença. "Quando o doce faz parte da refeição, o modelo de tratamento, que já atende principalmente essas refeições, não muda muito. Quando se consome o doce no meio da tarde, por exemplo, o pico de glicemia que isso irá gerar no sangue, muitas vezes, não tem o respaldo da medicação e, quando o paciente usa insulina, será preciso dar uma picada a mais no meio da tarde para atender à nova demanda", explica. 
Aproveite os doces diet ou livres de açúcar - Getty Images
Aproveite os doces diet ou livres de açúcar 

O mercado já conta com uma série de opções alimentares para pessoas com diabetes. Os chamados alimentos "diet" são isentos de açúcar, proteína e/ou gordura e, por isso, atendem bem os portadores dessa doença. "Até mesmo uma pequena barrinha de chocolate diet está liberada, dando preferência ao amargo, desde que não seja uma constante na alimentação diária", indica Jacqueline Pina.

No entanto, apelar sempre a esses doces pode ser prejudicial. Isso porque, alerta a endocrinologista Lilian Kanda Morimitsu, muitas vezes, eles são mais gordurosos e calóricos do que a versão original, o que acarretará em um maior ganho de peso.
 

terça-feira, 27 de novembro de 2012

Dieta do diabetes: nove cuidados essenciais com a alimentação


Legumes podem ser consumidos à vontade e frutas pedem mais atenção

Os mitos que cercam a alimentação dos diabéticos são incontáveis. Dizem que o portador de diabetes não pode comer carboidratos ou nenhum tipo de açúcar e deixar de lado até mesmo a carne vermelha. Vamos derrubar os mitos que envolvem a alimentação do diabético. 

dieta ideal para quem tem o problema varia para cada diabético. Um plano alimentar completo só pode ser oferecido se a pessoa fizer uma visita a um profissional qualificado, que observará os níveis glicêmicos e de colesterol, o peso, a atividade física do paciente e suas preferências alimentares. Entretanto, algumas recomendações são iguais para todos, como fazer três refeições por dia intercaladas com pequenos lanches e preferir por alguns alimentos em detrimento de outros. Confira quais são esses cuidados: 
Arroz, pães e massas integrais: a endocrinologista e nutrólga Ellen Paiva, do CITEN, explica que os carboidratos complexos presentes nesses alimentos são digeridos mais lentamente pelo organismo, liberando a glicose em pequenas doses. Isso é benéfico para o diabético, que não terá picos de índice glicêmico quando comer esse nutriente.

Porém, lembre-se de preferir sempre aos integrais, pois eles são ricos em fibras, que melhoram a ação da insulina.
chocolate - Foto Getty Images
Carboidratos simples e açúcar: doces, pães e massas não precisam ser abolidos completamente da dieta do diabético. Entretanto, é preciso estar atento à quantidade.

"Os doces podem ser consumidos esporadicamente, atendendo a princípios rigorosos de quantidade e frequência e acompanhados de compensação de carboidratos", afirma Ellen. No geral, uma dieta para diabéticos deve ser constituída 50% de carboidratos.

Por isso, quando o portador de diabetes resolve comer um doce, deve reduzir o consumo de outras formas de carboidrato para manter a equivalência ou, no caso do dependente de insulina, aumentar a sua dose de insulina para aquela refeição.  
frutas  - Foto Getty Images
Atenção às frutas: "As frutas, muitas vezes, são uma armadilha para a dieta dos diabéticos", conta Ellen. É muito comum a pessoa achar que pode consumir frutas à vontade, pois são alimentos muito saudáveis. Mas, na verdade, não podem. 

Todas as frutas têm carboidratos simples, como a glicose. Só que, por conta das fibras e outros diversos nutrientes presentes nelas, podem ser consumidas em quantidades maiores que as de outros carboidratos simples.

A recomendação para os diabéticos é ingerir no máximo três a quatro porções de fruta por dia, e sempre optando pelas menos calóricas. "As frutas podem dificultar a perda de peso nos obesos e a titulação da insulina nos pacientes insulino dependentes".
suco - Foto Getty Images
Sucos: embora muito saudáveis, os sucos geralmente consomem as três porções de frutas que o diabético tem direito durante todo o dia. "Um exemplo disso é suco de laranja. Um copo equivale em calorias ao consumo de um bombom e tem quantidade de glicose capaz de elevar em muito a glicemia do paciente", alerta a nutróloga.

A recomendação, portanto, é que as frutas sejam consumidas como tal, em lanches e sobremesas. Durante refeições, o ideal é evitar o consumo de líquidos ou optar pela água.  
Leite Desnatado - Foto Getty Images
Leite desnatado: para reduzir o consumo de gordura, a recomendação é trocar leite integral por desnatado e preferir derivados mais magros. Não caia no mito de que a versão desnatada do leite tem menos quantidade de cálcio e proteínas que a integral. Na verdade, você ingere apenas menos gordura e não perde os benefícios. 
carne magra - Foto Getty Images
Cortes magros de carne vermelha: a maior riqueza das carnes vermelhas são os micronutrientes, como o ferro e a vitamina B12, já que as proteínas podem ser facilmente encontradas em carnes brancas e proteínas vegetais. Por conta disso, a carne vermelha não só pode como deve ser consumida, mas evite as opções que possuem uma quantidade muito grande de gorduras saturadas, como filé mignon, picanha e contra-filé. "Os melhores cortes de carne são o lagarto, o patinho e a alcatra", conta Ellen. 
Peixe - Foto Getty Images
Peixes: eles são os mais indicados entre as carnes brancas. Os melhores são aqueles ricos em gorduras boas, como trutas, salmão e sardinha. "Esses peixes, apesar de saudáveis, são muito calóricos e, por isso, as porções devem ser controladas e nunca preparadas fritas ou empanadas", lembra a nutróloga. 
legumes e verduras - Foto Getty Images
Legumes e verduras à vontade: ricos em fibras, vitaminas e minerais antioxidantes, os legumes e verduras são importantes à nutrição e à saúde de todas as pessoas, mais ainda dos diabéticos, cuja dieta deve ser rica e variada nesses alimentos. "A regra é colorir o prato e variar de acordo com legumes e verduras da estação", aconselha Ellen. 
não exagere - Foto Getty Images
Não exagere nas porções: o diabético pode estar fazendo uma dieta correta e rica em alimentos saudáveis, mas, se exagerar nas porções, estará caminhando na direção oposta. "O excesso de calorias é nocivo ao diabético, mesmo que ele esteja comendo os alimentos mais indicados", alerta Ellen.

domingo, 25 de novembro de 2012

Farinha de coco faz emagrecer e controla doenças como o diabetes


Dá para substituir a farinha de trigo nas receitas, incrementar o iogurte e temperar a salada . Ela Melhora a saciedade

O nutrólogo Wilson Rondó, da Associação Brasileira de Nutrologia, de São Paulo, explica que as fibras respondem por 70% da composição da farinha de coco, quatro vezes mais que o farelo de aveia, por exemplo. Essa alta concentração deixa a digestão mais lenta e gera mais saciedade. "Ao ser digerido, o farelo de coco forma um bolo no estômago, fator que também contribui para adiar a fome", afirma o especialista. "Você pode associar o farelo a frutas e ele irá retardar a digestão do prato como um todo, potencializando seu lanche." 
cesta com pães - Foto Getty Images

Não contém glúten

A farinha de coco não contém glúten, sendo indicada para pessoas que têm intolerância ao glúten ou doença celíaca. "Ela pode ser acrescentada a receitas de bolos, pães e tortas que geralmente seriam feitas com farinha de trigo, sem causar prejuízos ao sabor ou à composição do prato", diz o nutricionista Israel Adolfo, de São Paulo. 
pessoa verificando a própria glicemia - Foto Getty Images

Ajuda no controle do diabetes

Segundo uma pesquisa realizada pelo Departamento de Ciência e Tecnologia do Instituto de Pesquisa sobre Alimentos e Nutrição das Filipinas, publicada em 2006 na revista Innovative Food Science and Emerging Technlologies, o índice glicêmico dos alimentos diminui quando eles são consumidos com a farinha de coco. Isso acontece porque o farelo contém fibras de lenta absorção que, ao serem digeridas, liberam açúcar no sangue em baixas quantidades, equilibrando as taxas de glicose e consequentemente ajudando no controle do diabetes. "Ao associar a farinha de coco com outros alimentos de alto índice glicêmico, como batatas, você estende os efeitos da lenta absorção a esses pratos também", afirma Israel Adolfo. 
mulher com as mãos na barriga - Foto Getty Images

Melhora o trânsito intestinal

O farelo de coco possui fibras que servem de alimento para a flora intestinal, ajudando a estimular o crescimento de bactérias boas para o aparelho, fazendo com que ele funcione melhor. "A farinha regula a digestão e é uma boa pedida para pessoas que sofrem com intestino preso", diz o nutrólogo Wilson. 
mulher mostrando os bíceps - Foto Getty Images

Fortalece a imunidade

O crescimento da flora intestinal benéfica proporcionado pelo farelo irá melhorar o funcionamento do intestino, e consequentemente ajudará na imunidade. Com esse sistema trabalho a todo vapor, nosso organismo irá combater com mais eficiência as bactérias ruins que entram pelo nosso corpo por meio da alimentação. "Além disso, o contato das fibras da farinha com a flora intestinal produz ácidos graxos de cadeia curta e triglicérides de cadeia média, que irão estimular o sistema de defesa como um todo", afirma Wilson Rondó. 
coração - Foto Getty Images

Controla o colesterol

O estudo desenvolvido pelo Instituto de Pesquisa das Filipinas também descobriu que as fibras dietéticas provenientes da farinha de coco ajudam na redução do colesterol total, do colesterol LDL e dos triglicérides de pessoas com níveis moderadamente elevados. Para entender a ação da farinha de coco na redução dessa substância, Israel explica que muito do colesterol presente no nosso corpo é produzido pelo próprio fígado, para atuar na digestão de gorduras, e também é chamado de sal biliar. "Depois de ser usado na digestão dos alimentos, esse sal volta para o fígado, onde deve ser reabsorvido para produzir uma nova bile", diz o especialista. No entanto, se a flora intestinal não estiver funcionando como deveria, ele não é absorvido e vai para a corrente sanguínea, elevando os níveis de colesterol no sangue. "Por ajudar a flora intestinal a funcionar melhor, a farinha de coco melhora indiretamente essa absorção do sal biliar, impedindo que ele se acumule no sangue e controlando suas taxas." 
menina dançando com um guarda-chuva amarelo - Foto Getty Images

Acelera o metabolismo

Se consumida diariamente, a farinha de coco pode acelerar o metabolismo, aumentando o gasto energético e favorecendo o emagrecimento. "Os triglicérides gerados pela digestão da farinha irão estimular o funcionamento da glândula tireoide, que está diretamente ligada ao bom funcionamento do metabolismo", afirma Wilson Rondó. Isso fará com que nosso corpo gaste mais calorias ao longo do dia, ajudando na luta contra a balança.  
idosos passeando no parque - Foto Getty Images

Não impede a absorção de outros nutrientes

Ao contrário da fibra presente em outras farinhas e farelos, a fibra do coco não impedirá a absorção de certos minerais, fazendo com que eles sejam mais bem aproveitados pelo organismo. "Algumas fibras, ao serem digeridas, sequestram esses minerais e impedem sua absorção pelo organismo, efeito que não acontece com a farinha de coco", diz Wilson Rondó. A absorção de cálcio é uma das mais beneficiadas pela ingestão de farinha de coco, o que irá ajudar no fortalecimento dos ossos e dentes e a prevenir doenças como osteoporose. 
fonte http://www.minhavida.com.br/

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Remédios naturais para Bronquite

Os remédios naturais oferecem maneiras fáceis para se livrar de muitas doenças, incluindo doenças respiratórias, como bronquite. Bronquite é uma doença respiratória em que as passagens aéreas, que se conectam a traqueia aos pulmões estão inchados. Esta doença é uma infecção viral que causa dor de garganta. Os sintomas da bronquite incluem tosse aperto no peito e falta de ar. Fluxo de ar normal nos pulmões é afectada. Como resultado, a pessoa tem dificuldade em respirar adequadamente. A tosse traz uma substância conhecida como expectoração (muco) a partir do tracto respiratório. Bronquite geralmente ocorre em pessoas cujos pulmões têm menos capacidade de resistência. Esta é uma condição dolorosa, uma vez que provoca irritação pulmonar. As pessoas que estão expostos a gases tóxicos ou fumaça de cigarros, são suscetíveis a esta doença.

Remédios naturais para bronquite

Uma maneira fácil de aliviar a dor de garganta causada devido a tosse constante é beber líquidos quentes. Líquidos, como água quente, sopa, chá e café são úteis a esse respeito.Gargarejo de água morna e sal com freqüência, é um dos remédios mais fáceis e recomendados para diminuir o desconforto. Um tratamento eficaz bronquite envolve a  ingestão de amêndoas, de qualquer forma vai certamente aliviar a bronquite. O mel é também um remédio natural para esta doença respiratória. Isto é porque, alivia a tosse resultante da bronquite. Uma forma eficaz é cobrir as fatias de cebola com mel e deixá-lo durante a noite. Tendo uma colher de mel, desta forma pode curar bronquite desde a raiz.
Beber chá de limão também pode fornecer conforto  para a dor de garganta. Gargarejo o chá também é útil, pois traz à tona o muco, aliviando assim o paciente de bronquite. Esta é uma das maneiras mais fáceis de curar bronquite. Aromaterapia é também um dos melhores remédios naturais disponíveis bronquite. Trata-se de óleo de eucalipto a inalação para aliviar a inflamação dos pulmões.

Remédios Herbal

Louro é uma forma eficaz de tratamento para bronquite. É geralmente consumido com chá. Louro embebida em água quente são aplicadas no peito e depois coberta com água quente. Esta forma de utilizar a folha de louro, dá um grande alívio. Uma mistura de água morna e mostarda, quando aplicado sobre o peito, proporciona imenso alívio das crises de tosse. Uma erva conhecida como segurelha é frequentemente recomendada para remover o muco acumulado nos pulmões. Normalmente ingerido com chá, a erva é tomado uma vez em um dia. Tomilho (erva) também pode ajudar a eliminar muco e infecção pulmonar luta.

Remédios caseiros

Cúrcuma é considerado ser um remédio útil para a bronquite. Meia colher de chá de pó de curcuma tomados diariamente pode melhorar a condição do paciente, em grande medida. Pode-se consumir açafrão em pó, misturando-o com o leite. Este tratamento é mais eficaz na luta contra a bronquite, quando os pacientes têm com o estômago vazio. Um tratamento bem sucedido para a bronquite envolve tomar uma mistura de gengibre, cravo e pimenta. A quantidade de cada um, é meia colher de chá ea mistura deve ser tomado três vezes por dia. O mel pode também ser uma adição útil para a mistura.

Outros Tratamentos Naturais
  • Beber um copo de suco de repolho fresco diariamente, pode ajudar a aliviar os sintomas da bronquite
  • Misturar 50 gramas de folhas de espinafre fresco com 250 ml de água. Deve-se também incluir uma colher de chá de mel e um pouco de cloreto de amônio na mistura. Esta combinação é um antitússico eficaz, uma vez que provoca muco para ser expelido.
Todos os tratamentos acima mencionados são uma forma excelente para combater a tosse e são amplamente utilizados para eliminar bronquite todo o mundo.

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Remédios naturais para indigestão

A indigestão é tipicamente causado por grandes refeições ou pela ingestão de alimentos ricos em gordura, para ajudar a melhorar o processo digestivo é importante o uso de remédios naturais para a indigestão que pode ser feito em casa que contêm propriedades digestivas que ajudam a neutralizar o ácido do estômago. Indigestão apresenta um conjunto de sintomas que apresentamos abaixo.

Remédios naturais para os sintomas Indigestão

Indigestão apresenta um conjunto de sintomas como dor abdominal, náuseas, distensão abdominal, arrotos,  azia ou inchaço, que é atribuída a quando consumido muita comida ou comida de dificil digestao, que em não será tolerado desequilibrar o processo de assimilação normal. Com alguns remédios naturais para a indigestão pode eliminar o desconforto.

Remédios naturais para a indigestão usando ervas

Remédios naturais para a indigestão, usando ervas é um dos mais eficazes porque são realmente muito eficazes remédios naturais para aliviar a indigestão, pode ser tomado como uma infusão após sentir desconforto ou tê-lo como de costume. 
As ervas mais recomendados são camomila, sementes de erva-doce, boldo, alcachofra, cravo, erva-cidreira, hortelã, entre outros.

Remédios naturais para a dieta Indigestão: 
É a casa remédio usado para tratar naturalmente o caso de indigestão. A dieta em si é evitar gorduras saturadas na forma de chips em particular, não se combinam para produzir legumes, como a fermentação da família do repolho, comer abundantemente, em especial à noite, e assim por diante.

Remédios naturais para a indigestão do Limão e Gengibre: 
Um remédio caseiro muito antiga eficaz no tratamento de indigestão, é a combinação de raiz de gengibre com limão, chá preparado uma decocção de raiz de gengibre que você deve adicionar o suco de limão e mel. É um chá muito eficaz para aliviar e eliminar os sintomas de indigestão.

Remédios naturais para a indigestão Licorice, a raiz desta planta é um outro remédio caseiro simples mas muito eficaz no tratamento de indigestão ácida naturalmente Faça um chá adicionando uma colher de chá de raiz de alcaçuz por xícara de água. Beber esta bebida de duas ou três vezes por dia.

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Remédio caseiro para artrite

Aqui são apresentados alguns remédios caseiros para a artrite. Leia as informações sobre o tratamento da artrite com remédio caseiro.
Artrite significa literalmente “a inflamação das articulações. O termo tem sido derivada de duas palavras gregas: ‘athron’ (que significa articulações) e “ite” (que significa inflamação). Uma doença crônica, a artrite pode ser classificada em vários tipos, sendo dois os mais comumente encontrado – osteoartrite e artrite reumatóide. O primeiro normalmente ocorre em pessoas mais velhas, quando suas articulações se tornam semana. O último é uma doença grave, que afeta não apenas as articulações dos dedos, punhos, quadris, joelhos e pés, mas também os músculos, tendões e outros tecidos do corpo. Remédios caseiros poucos foram encontrados para ser úteis na cura de artrite. Leia para saber como tratar a artrite naturalmente.

Remédio caseiro para artrite

fonte http://www.lifestyles.com.br

  • Uma forma eficaz de obter alívio da dor da artrite é a massagear a área afetada com o azeite quente.
  • Misture o azeite com alho diluído, zimbro, lavanda, alecrim, sálvia, tomilho ou óleo de sassafrás. A mistura deve ser na proporção de 1:10, sendo que 10 representam as partes de azeite. Massagem esta mistura sobre a área afetada.
  • Os banhos de vapor e massagem corporal também provaram que vale a pena para pessoas que sofrem de artrite.
  • A pessoa que sofre de artrite deve consumir alimentos ricos em cálcio, zinco e vitamina C.
  • Um remédio caseiro eficaz para a artrite seria ter suco de batata doce da manhã. O suco deve incluir suco de batata de 50 por cento e 50 por cento de água.
  • A solução mais simples em casa para a artrite seria esfregar a área afetada com vinagre morno, antes de dormir.
  • Misturar 10 gramas de cânfora com 200 gramas de óleo de mostarda. Mantenha essa mistura em um frasco bem tampadas e expô-la ao sol, diariamente, até a cânfora se derrete. Regularmente massagear a área afetada com esta mistura.
  • Moer quatro pedaços de alho descascados, junto com dois gramas de Sprague. Mergulhar esta mistura em 30 gramas de óleo de mostarda e em fogo baixo, por 1-2 minutos. Massageie nas articulações com este óleo, após o resfriamento para baixo, para obter alívio da dor e inchaço.
  • A artrite reumatóide pode ser curada por consumir alguns gramas de gengibre fresco ou em pó por dia, junto com a água.
  • Adicione 4 colheres de sopa de sal Epsom para o seu banho, encher com água morna. Tomando banho com esta água irá ajudar a reduzir a inflamação e a rigidez das articulações.
  • Massagem com óleo de mamona também reduz a dor, proporcionando alívio de artrite.
  • Pessoas que enfrentam problema da artrite deve relaxar em uma banheira de água morna, em que foi adicionado uma xícara de sal marinho.
  • A berinjela é também útil para curar a artrite. Cozer uma ou duas berinjelas, amasse-os e frite a polpa resultante no óleo de rícino. Adicione as especiarias, como cominho, coentro, sal, alho e açafrão e cozinhe por alguns segundos. Tome isso, uma vez ao dia, por cerca de 2-3 meses.
Aviso Legal: Lifestyles não garante ou assume qualquer responsabilidade legal ou responsabilidade para a exatidão, integridade ou utilidade das informações fornecidas aqui. Por favor, verifique com um especialista antes de usar qualquer uma das sugestões dadas neste artigo.

sábado, 17 de novembro de 2012

Aposte na alimentação certa para aumentar a saciedade



Sucos, vitaminas e até o arroz com feijão entram no cardápio que mata a fome e emagrece


POR CAMILA MICHEL
Não passou nem uma hora que você almoçou, mas a fome já começa a aparecer? E, quando você come, os ataques de gula são frequentes? Por isso, a solução para não bater de frente com a dieta é apostar em um prato com alimentos ricos em nutrientes com forte poder de saciedade. Isso mesmo, a ideia é retardar a sensação de fome e evitar que você fique beliscando guloseimas ao longo do dia. "Um elevado poder saciante é encontrado em alimentos ricos em proteínas, fibras e água, enquanto alimentos ricos em gordura apresentam baixa capacidade de controlar o apetite  ", explica a nutricionista Patrícia Bertolucci.

Se a vontade de devorar o mundo é a grande inimiga da dieta, a saída é montar um cardápio repleto de comidas que enchem o estômago e ainda ajudam a eliminar os quilos extras. Logo abaixo, montamos uma lista de opções que vão muito além das verduras ricas em fibras.  
Café da manhã

Café da manhã reforçado

Para não sentir fome ao longo do dia, o ideal é saborear um café da manhã rico em nutrientes, assim não chegamos na hora do almoço querendo abocanhar tudo o que vemos pela frente.

"A mistura de
uma xícara de frutas picadas coberta com um pote de iogurte light, duas colheres de sopa de granola e uma colher de sopa de geleia resulta em um sabor intenso que mata a vontade de comer doce ao longo do dia", recomenda a nutricionista Cyntia Antonaccio, da Equilibrium Consultoria."Essa mistura é rica em fibras e, além de não prejudicar o regime, ajuda a não sentir fome". 

De acordo com a nutricionista Patrícia Bertolucci, é importante não deixar alguns grupos de alimentos de fora do desjejum. São eles: 

Cereais integrais: prefira a versão integral dos carboidratos, que auxilia no trânsito intestinal, já que possuem mais fibras. Eles também contribuem para a saciedade, pois demoram mais para serem digeridos. 

Laticínios: as proteínas presentes nos laticínios oferecem maior saciedade, pois a digestão é mais lenta, retardando o esvaziamento gástrico e, consequentemente, a fome. 

Frutas: são excelentes fontes de fibras, vitaminas, minerais e antioxidantes vitais para o bom funcionamento do nosso corpo. As frutas de cor alaranjada, ricas no pigmento betacaroteno, como o mamão, contém vitamina A, que é importante para manutenção da saciedade.  

Vitamina poderosa

No meio da tarde ou antes do almoço, uma aliada para espantar a fome é a vitamina. Com os ingredientes certos, você aproveita todos os benefícios e garante muita saciedade. "Optar pelas vitaminas com alimentos de cor alaranjada (cenoura, laranja, mamão), também é uma ótima opção para afastar a fome. Sem contar que a vitamina A, presente nessas frutas e legumes, auxiliam o funcionamento dos pulmões e do coração, dos olhos e do sistema imunológico", explica a nutricionista Patrícia Bertolucci.  
Frutas
Receita de Smoothie de mamão

Ingredientes
- 1 fatia de mamão
- 3 ameixas pretas sem caroço deixadas de molho
-1 colher (sobremesa) de semente de linhaça triturada
- ½ copo de leite de soja gelado 

Modo de preparo
Coloque as ameixas e a água das ameixas no liquidificador. Junte o restante dos ingredientes e bate no liquidificador. Sirva em seguida.  
Vitaminas
Almoço
Para a hora do almoço, existem diversas opções de pratos que ajudam a manter a saciedade e te livram da fome que aparece no meio da tarde. 


Aposte no arroz com feijão 
A dupla é aliada da dieta. O arroz possui várias vitaminas do complexo B, carboidratos, cálcio, folato e ferro. Já o feijão é um alimento rico em proteína vegetal, fibras, fonte de ferro e vitaminas do complexo B. "Ele é um tipo de amido resistente, ou seja, o carboidrato do feijão demora mais tempo para se transformar em glicose (açúcar no sangue), evitando picos de insulina e que o metabolismo fique lento". "Além do valor nutricional, a ingestão do arroz com feijão proporciona uma saciedade de longa duração, muito diferente do hambúrguer, por exemplo, que nos faz sentir empanturrados e, em pouco tempo, sentir fome", diz Patrícia Bertolucci. 


Vegetais até o talo 
Outra dica para deixar seu almoço farto de nutrientes, é apostar nos talos de vegetais, que ajudam a dar sustância. "Eles deixam as refeições mais completas já que apresentam um número grande de nutrientes, assim a fome demora mais para voltar. Podemos optar pelos talos de couve-flor, nabo, beterraba e adicioná-los a farofas, no cozimento do arroz e em sopas. As opções são super variadas", diz a nutricionista Patrícia.  
Uma dica para o jantar
Para que o jantar esteja equilibrado, é necessário ter um alimento de cada grupo alimentar, no entanto, consumidos em menores quantidades. "Assim, a fome não aparece no meio da noite e acordamos com o apetite controlado para o café da manhã", diz Patrícia. 
O jantar deve conter: 
- Carboidratos (arroz integral, batata, macarrão integral)
- Leguminosas (feijão, soja, grão de bico)
- Carne (frango, carne vermelha magra, peixe)
- Verduras (alface, rúcula, agrião) 
- Legumes 
- Frutas (maçã, pera, uva)

Aposte nas folhas
As folhas verdes são campeãs de fibras e também contam com outra particularidade quando o assunto é saciedade. "Elas exigem muita mastigação. Este é um mecanismo fundamental para o cérebro avisar a hora certa de você parar de comer", explica Patrícia. "Não deixe de acrescentar ao seu prato alimentos ricos em fibras (alimentos integrais), que possuem baixo índice glicêmico e dão uma sensação de saciedade maior, evitando a fome alguns minutos depois do jantar", diz a nutricionista. 

Sete alimentos para combater a gordura localizada

Faça a escolha certa e acelere os resultados no seu plano para secar a barriga
 


As calorias de sobra que foram consumidas durante anos não dão trégua: a gordura localizada no abdômen denuncia que faltou cuidado com a dieta e que os exercícios foram deixados de lado ou praticados com menos intensidade do que seu corpo merecia. "Na maioria das vezes, este acúmulo de gordura vem da ingestão de carboidratos simples, presentes em pães, massas, doces, refrigerantes, e bebidas alcoólicas", afirma a nutróloga Tamara Mazaracki, membro da Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN).

Além do incômodo estético, a barriga costuma ser um fator de risco para a saúde cardiovascular - reduzir medidas abdominais, portanto, não significa apenas caber num manequim menor. Colesterol, hipertensão e outros problemas de saúde também são benefícios que você passa a usufruir. Se esta meta está na sua lista, alguns alimentos podem ajudar: eles aceleram a queima de gordura e combatem o ganho de peso. Fique de olho nas opções que engordam seu prato, mas deixam sua cintura na medida.  
 
 
de 7
Peixe - foto: Getty Images

Peixes e frutos do mar

A inflamação é um dos principais responsáveis pelo ganho de peso. Peixes e frutos do mar, por serem ricos em ômega-3, um ácido graxo essencial, ajudam a desinflamar as células de gordura, atuando no controle do problema. Além disso, esses alimentos também aceleram a transformação da glicose em energia, impedindo que ela seja estocada sob a forma de gordura. A nutróloga Tamara orienta a inclusão desses alimentos no cardápio pelo menos três vezes por semana.  
Óleo de coco - foto: Getty Images

Óleos funcionais

Não é a toa que os óleos funcionais são tão conhecidos quando o assunto é emagrecimento. "Os óleos funcionais atuam no metabolismo das gorduras, aumentando a quebra da dos ácidos graxos para produção de energia e, consequentemente, diminuindo as reservas de gordura", afirma a nutricionista Raquel Maranhão, da clínica BeSlim, no Rio de Janeiro. Entre os mais famosos, estão o óleo de cártamo e o óleo de coco, que agem também na aceleração do metabolismo. Mas também vale destacar o óleo das sementes de gergelim, que previne o armazenamento de gordura corporal através da inibição de fosfodiesterase, uma enzima responsável pelo acúmulo de gorduras no organismo.  
Alimentos probióticos  - foto: Getty Images

Alimentos probióticos

A nutróloga Tamara explica que existem várias hipóteses para explicar como os alimentos probióticos auxiliam o emagrecimento. "Alguns lactobacilos produzem um tipo de gordura, o CLA (ácido linoléico conjugado), que é capaz de reduzir o porcentual de gordura", explica a especialista. Além disso, esse tipo de alimento tem como função básica equilibrar a flora intestinal. Um estudo publicado em 2006 pela revista científica Nature mostrou que as bactérias presentes na flora intestinal de pessoas com obesidade é muito diferente da de pessoas com peso adequado. A descoberta sugere que a absorção inadequada de gorduras no intestino, que ocorre nas pessoas com flora comprometida, pode estar relacionada ao ganho de peso.  
Abacate - foto: Getty Images

Abacate

A bioquímica e os estudos científicos explicam: justamente pela sua alta concentração de gorduras benéficas, que promovem a saciedade por mais tempo, o abacate pode ajudar a reduzir o peso. Apesar da alta concentração de calorias, elas provêm da gordura monoinsaturada, que ajuda a reduzir o pico de insulina, hormônio que desencadeia o armazenamento das calorias extras sob a forma de gordura localizada. Além disso, o ômega-9 presente ativa outro hormônio, a adiponectina, que induz o corpo a produzir energia a partir dos depósitos de gordura, ou seja, derretendo o que sobra no abdômen. A nutricionista Renata Fidelis, do Spa Sorocaba, recomenda comer três colheres de sopa em dias alternados. "Cem gramas (cerca de três colheres de sopa) de abacate têm 182 calorias, então, quem quer emagrecer não deve abusar do alimento. Comê-lo três vezes por semana é o ideal." 
Frutas vermelhas  - foto: Getty Images

Frutas vermelhas

As frutinhas vermelho-arroxeadas (framboesa, amora, morango, cereja, jabuticaba, mirtilo, melancia e uva roxa) são poderosas aliadas no combate à gordura localizada. A nutricionista Renata explica que existem, nas cascas dessas frutas, substâncias fitoquímicas com ação antioxidante, como a antocianina, que mantém o sistema circulatório eficiente, melhorando a irrigação dos tecidos e ajudando na queima de gordura abdominal. A especialista recomenda o consumo de uma ou duas xícaras por dia, sem adição de açúcar.  
Chá verde - foto: Getty Images

Chá verde

Além de atuarem no sistema nervoso central acelerando o metabolismo e aumentando a temperatura corporal, as xantinas (cafeína, teofilina e teobromina) presentes no café, chá verde e preto, mate e chocolate aumentam a mobilização de gorduras estocadas. Os polifenóis, também presentes no chá verde, eliminam radicais livres, o que diminui a oxidação de gorduras. A nutricionista Renata orienta tomar uma xícara de chá de 30 a 40 minutos após almoço e jantar, com cuidado especial para não consumi-lo antes de dormir (o que pode atrapalhar o sono) e se você for hipertenso, porque essas substâncias aumentam a pressão arterial.  
Azeite - foto: Getty Images

Azeite

Uma pesquisa realizada pelo Instituto Salud Carlos III, da Espanha, em parceria com a Universidade de Cambridge, da Inglaterra, aponta que a ingestão diária de azeite evita a formação de gorduras na região da cintura. O estudo foi publicado na revista Diabetes Care e afirma que as gorduras monoinsaturadas presentes do azeite previne o acúmulo de gordura na região.

Renata Fidelis enfatiza que o azeite é um excelente alimento para prevenir doenças cardiovasculares, já que tem componentes anti-inflamatórios que atuam nos vasos, diminuindo a agregação de placas de gordura. Três colheres de sopa por dia do alimento cru (o cozimento transforma a gordura saudável em vilã) são suficientes para colher os benefícios. 

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Deixe a barriga sarada com esses seis exercícios

Atividade melhora a postura e ainda te dá mais saúde

Quer ficar com uma barriga retinha e definida? O primeiro passo, antes de iniciar a prática de exercícios localizados, é investir no trabalho aeróbio para reduzir o peso corporal e diminuir o acúmulo de gordura no abdômen. "Depois disso, é que vamos iniciar o fortalecimento e a definição do músculo" , explica Thiago Sarraf, professor de educação física e personal trainner da academia Be Happy, de Curitiba.

Ao conquistar uma barriga tanquinho, você de quebra melhora sua postura corporal. "A pressão interna da região abdominal aumenta quando se promove a tonificação dos músculos, com isso, o estresse na coluna é reduzido" , esclarece Thiago. O abdômen fortalecido faz ainda com que o quadril retorne a sua posição normal, tirando o peso do corpo da região lombar. Veja quais são os exercícios e aulas mais indicadas para desenhar e enrijecer a musculatura e escolha seu preferido.
Abdominal - foto: Getty ImagesAbdominal simples

Ele é feito deitado no chão e com a barriga voltada para cima. Você inclina o tronco para frente e trabalha principalmente a região do músculo reto superior.  Fazer o abdominal na diagonal complementa o treino e trabalha a região lateral da barriga.

Abdominal sit-up - foto: Getty Images 

Abdominal sit-up

Sit-up vem do inglês e quer dizer sentar-levantar. É considerado um dos mais eficientes e indicado para adeptos da prática dos abdominais. Essa modalidade retorna às raízes do exercício. É feito levantando ao máximo tronco do chão, quase na posição de sentar. Mas evite essa modalidade logo no início, quando sua musculatura ainda não está fortalecida. Isso porque o risco de machucar a coluna é grande. 

Abdominal sobre a bola - foto: Getty ImagesAbdominal com bola

Bola lembra brincadeira e é essa a idéia mesmo: fazer uma aula pra lá de divertida. Os músculos abdominais ganham tonicidade e força, quando você busca o equilíbrio sobre o acessório. Basta deitar em cima dela (procure um acessório especial para a prática esportiva. As bolas de brinquedo podem não oferecer resistência suficiente) e manter as pernas em 90º, com os pés apoiados no chão. Levante o tronco até sentir a barriguinha começar a queimar. Pilates - foto: Getty Images 

Pilates

Com uma legião de fãs mundo à fora, essa aula trabalha a força muscular. Enrijece os músculos fracos, alonga os que estão encurtados e aumenta a mobilidade das articulações. Fortalece e tonifica a barriga. 

Aula dinâmica de ioga - foto: Getty Images 

Pilates e ioga

Já pensou ter os benefícios da ioga e do pilates em uma única aula? Com essa modalidade, chamada ioguilates, você pode se esbaldar. Sua barriga fica delineada e retinha. Também melhora a flexibilidade e a postura. 

Fit-ball - foto: Getty ImagesFit-ball

Mande o tédio passear com uma aula diferente, que combina ioga, pilates e ginástica localizada. Tudo isso feito em uma bola gigante. Para manter o equilíbrio sobre a bola, é preciso contrair o abdômen o tempo todo. E essa contração acaba tonificando os músculos da barriga. 

Homem com barriga tanquinho - foto: Getty Images 

Por que os homens ficam com o abdômen definido mais rápido?

Sim, é verdade, os homens conseguem o famoso tanquinho antes que as mulheres. Tudo está ligado ao hormônio masculino, a testosterona, que faz com que eles ganhem massa muscular mais rapidamente. Outra diferença é que homens geralmente fazem um treino mais intenso, usando mais cargas, para ganhar mais músculos, já as mulheres preferem ganhar resistência e fortalecimento muscular, explica Thiago Sarraf, coordenador de ginástica da academia Be Happy 

fonte http://www.minhavida.com.br 

7 alimentos que sabotam a dieta sem você perceber


Até mesmo as comidas consideradas "magras" pedem consumo moderado

POR ROBERTA VILELA
A mudança dos hábitos alimentares é um dos fatores principais para ter sucesso na dieta. Exige que você consuma mais frutas e legumes, priorize alimentos mais nutritivos e faça escolhas mais saudáveis, reduzindo o consumo de açúcares e gorduras. Os resultados são compensadores. Bastam pequenos ajustes para sentir a diferença no corpo, para as roupas ficarem mais largas e você sentir mais disposição. O esforço costuma surtir efeito na maioria dos casos, mas quando o ponteiro da balança emperra, as pessoas se indagam sobre o que estão fazendo de errado. Você já pensou que a resposta para a estagnação pode estar na listinha de compras do regime? 

1. Granola 

Este mix de cereais, frutas secas e castanhas leva fibras e vitaminas que dão saciedade e energia, mas também contém açúcar. Invista na versão diet/light da mistura. De acordo com a nutricionista Rosana Farah, 100 g de granola tem 421 calorias. Seguindo a tabela da dieta dos pontos, meia xícara (chá) apresenta quatro pontos. "O recomendado por dia é 25 gramas", diz a especialista. Prefira comer a granola no café da manhã para ganhar mais disposição e ainda ter um dia inteiro para gastar as calorias consumidas.  
Água com sabor - Foto Getty Images
2. Água de sabor 

Beber água para hidratar o corpo é essencial para a nossa sobrevivência e para a dieta. A água nutre as células, desintoxica o organismo, faz os rins e intestino trabalhar melhor. O ideal é beber até 2 litros de líquidos por dia. É pensando nisso que muita gente acaba abusando das águas de sabor. De limão, morango e até mesmo de maçã-verde e lichia, elas contém aditivos, adoçantes e, às vezes, até açúcar. Não deve ser consumida em grande quantidade, no máximo, dois copos por dia.  
Salada - Foto Getty Images
3. Saladas perigosas 

A saladinha costuma ser uma opção leve e refrescante para os dias de verão, mas segundo a nutricionista Rosana Farah, aquelas temperadas com molhos prontos, azeite, queijos, azeitonas e croutons devem ser evitadas porque costumam carregar muitas calorias e gordurosas saturadas. Uma opção mais saudável é um prato de salada de folhas verdes, tomate, pepino e palmito, temperada com molho de iogurte desnatado e acompanhada de uma proteína mais leve, como o peito de frango ou peixe grelhado.  
Açaí - Foto Getty Images
4. Açaí 

A fruta da região amazônica faz sucesso, sobretudo entre praticantes de esportes que adoram se refrescar depois dos exercícios. Apesar de ser rico em nutrientes (principalmente: cálcio, ferro, vitamina B1), o principal problema do açaí é a quantidade de calorias do alimento, são 248 calorias em 100 gramas. Um copo de açaí tem 2 pontos e a tigela de açaí (com banana, granola e mel- 1 colher de sopa) tem 4 pontos. Os complementos na hora de consumi-lo também costumam tornar ainda mais calórica a fruta, dentre eles: granola, banana picada e leite condensado. "O ideal é consumir o açaí puro e, se for substituir o lanche da manhã ou da tarde por ele, coma uma tacinha pequena de 50 gramas", explica a nutricionista Rosana Farah.  
Comida japonesa - Foto Getty Images
5. Comida japonesa 

Um dos alimentos que as pessoas mais gostam da culinária japonesa é o sushi. Apesar de ser feito com alga, vegetais e frutos do mar, o alimento tem a base de arroz e, às vezes, recheios calóricos como o cream cheese. Sem contar as versões fritas. O sushi têm entre 20 e 45 calorias cada um, mas o problema é que come-se muitos de uma vez só. Uma unidade tanto de atum quanto de salmão apresenta 1 ponto. A recomendação da nutricionista é "No seu almoço ou jantar, limite o consumo até quatro unidades, assim você pode desfrutar do restante do cardápio oferecido no restaurante japonês", aponta Rosana.  
Refrigerante - Fotto Getty Images
6. Refrigerante light ou zero 

Os refrigerantes desse tipo não possuem calorias, mas um outro elemento do refrigerante causa preocupação nos especialistas: o adoçante. A nutricionista Rosana Farah ainda alerta que quanto maior for o consumo de adoçantes, maior fica o desejo por doces. "Estudos apontam o efeito do adoçante nas papilas gustativas fazendo com que fiquem mais receptivas ao sabor doce", diz ela.  
Barra de cereal - Foto Getty Images
7. Barrinhas de cereais 

As barrinhas de cereais são ótimas opções para os lanches intermediários, mas contêm, em média, 100 calorias, portanto não devem ser ingeridas à vontade. As que possuem cobertura de chocolate costumam ser as com mais calorias (e pontos). No caso das barrinhas de cereais (dependendo da marca), a pontuação varia de 0 a 3 pontos.  
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

POSTAGENS POPULARES